• Carol Manenti

Você não está respeitando o ritmo.

E eu acho que isso é o que mais está te deixando louca!



Está aberta a temporada de posts-desabafo. rs Estou brincando, mas é sério. Tenho refletido muito sobre o meu dia-a-dia e achei que, talvez, servisse pra você também.


Eu entendo perfeitamente a sua rotina: você tem filho(s) (na maioria das vezes), você tem marido (na maioria das vezes), você cuida da casa sozinha, e você está aqui, bravamente, dia após dia, tentando empreender. Eu sei como é.


E quase todos os dias você se vê perdida, casa bagunçada, querendo desesperadamente ser produtiva, e gritando com seus filhos, porque eles não são aquelas crianças-anjinho que brincam sozinhas em silêncio. Eu sei como é.

Você queria ter tempo para aprender, mas também para produzir, para inventar coisas novas, estar sempre disponível... queria que a casa estivesse sempre limpa, você estivesse consideravelmente alinhada (rs), e que de você transbordasse paciência e mansidão para lidar com as situações características das crianças. Eu sei como é.


Mas a verdade é que, na prática, não é tão simples assim. E de repente eu me peguei pensando: "acho que não tenho respeitado o ritmo". "Que ritmo, Carol?", você me perguntaria. E eu responderia "o ritmo da minha própria vida". Acho que cada um de nós tem um ritmo que é definido pela circunstância em que estamos. Eu, por exemplo, tenho uma menina de 2 anos que é maravilhosamente fofa, mas que, na mesma proporção, é absurdamente complicada (rs). Hoje ela chorou 70% do tempo em que esteve acordada. Estava passando mal? Com dor? Doente? Não. Talvez porque o céu estava azul demais, ou porque tinha muito oxigênio na atmosfera, ou porque o Daniel (seu irmão de 7 anos) não deixou ela fazer qualquer coisa que ela queria (mas não deveria) fazer.


Essa é a Ana Banana. E eu não tenho tido paciência. Mas talvez não seja só porque ela é um pouquinho enjoada (cof, cof), mas porque eu quero que as coisas andem num ritmo mais rápido do que o meu momento permite. E aí, certamente, rola um desencontro. Por que eu surto? Porque ela demanda, e eu quero produzir. Porque ela precisa ser ensinada, e eu quero produzir. Porque a casa tá um caos, mas eu quero produzir.


Mas esse momento não vai durar pra sempre, e ela não terá sempre 2 anos. Eu fiz uma escolha de não entregá-la para ninguém antes da "escola". E eu preciso entender que isso vai exigir um esforço muito maior do que se o tivesse feito. Porque, primeiramente, essa foi a razão pela qual tudo começou. E sim, eu me permito mudar e aceitar que hoje o meu trabalho é muito mais do que poder ficar em casa com eles, mas é também pra ficar em casa com eles.

O meu ritmo HOJE não permite que eu crie "o arquivo mais legal do mundo" a cada dia. E entendendo isso, o primeiro passo é ajustar a velocidade. O segundo? Organização. Mas esse assunto fica para um outro dia. rs Bjo! Carol Manenti


#vidareal #maternidadereal #empreendedorismomaterno #empreendedorismofeminino

0 visualização

Blog, passo-a-passo, empreendedorismo, devocional e vida real.

Ana Banana Craft, since march, 2019.